MEC Determina desativação de pólo de ensino da UNOPAR

O rigor do Ministério da Educação com instituições que oferecem cursos de graduação chegou à modalidade de ensino a distância. Oito das 109 existentes no país estão sob supervisão do órgão, que já determinou a desativação de 1.337 centros de atendimento pertencentes a quatro estabelecimentos: Universidade Norte do Paraná, Faculdade Educacional da Lapa (Fael), Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) e Centro Universitário Leonardo da Vinci (Unisaelvi). As demais — Universidade Luterana do Brasil, Faculdade de Tecnologia e Ciências, Universidade Castelo Branco e Universidade Cidade de São Paulo — estão sendo analisadas pela Secretaria de Ensino a Distância do MEC.

O secretário de Ensino a Distância do MEC, Carlos Bielschowsky, afirma que a intenção do ministério é sanear as deficiências encontradas nas instituições sob supervisão, que poderão assinar um termo, no qual se comprometem a adequar os pólos no prazo de um ano. Depois disso, se os problemas não forem resolvidos, os estabelecimentos podem ser punidos com o descredenciamento.

Para os pólos das quatro primeiras instituições, cuja análise do MEC já foi finalizada, porém, não há mais solução. “Eles não têm padrões de qualidade aceitáveis, por isso, não são negociáveis. Nesses centros, mandamos encerrar as atividades”, explica o secretário. Ele também esclarece que não se trata de fechamento de cursos, mas dos pólos onde foram identificados problemas como carência na formação dos tutores, falta de laboratórios e bibliotecas precárias.

Para não prejudicar os 60 mil alunos, esses centros continuarão a funcionar até a conclusão do curso. Porém, as instituições não podem aceitar mais estudantes nem oferecer vagas em vestibulares para os pólos fechados. Juntas, as quatro são responsáveis por 33,7% das 760.599 matrículas em graduação a distância. Já ao se considerar os oito estabelecimentos sob supervisão, o percentual sobe para 54,7%.

Modificações
Os pólos desativados da Faculdade Educacional da Lapa e da Universidade Estadual do Tocantins são atendidos pela empresa Eadcon, criada em 1999. O diretor de desenvolvimento e qualidade acadêmica da Eadcon, Francisco Sardo, diz que a intervenção do MEC é bem-vinda. “É como uma auditoria gratuita”, diz. Porém, ele alega que a portaria normativa que regula o ensino a distância ainda é muito recente, de 2007. “Estamos trabalhando para cumprir as determinações do ministério, mas há de se convir que a transformação não ocorre da noite para o dia”, diz. Entre as modificações, estão a aquisição de bibliotecas, a compra de equipamentos e a melhoria de instalações.

Em nota, o reitor em exercício da Unitins, Lívio William Reis de Carvalho, afirmou que haverá melhorias nas condições dos pólos presenciais, além de uma revisão das atividades acadêmico-pedagógicas”. Também por meio de nota, o Centro Universitário Leonardo da Vinci afirmou que “todas as novas adequações exigidas pelo Ministério da Educação, relacionadas ao assunto em questão, serão realizadas pela instituição no próximo ano, como, por exemplo, a implantação de melhorias nos pólos”.

Fonte: Correio Brasiliense – 19 /11/2008

About these ads

3 thoughts on “MEC Determina desativação de pólo de ensino da UNOPAR

  1. Puxa Átila demorei para ver esta nota, mas vamos ser sinceros, demorou até demais para que eles tomassem tal atitude. Seria bom se eles fizessem o mesmo em todos os estabelecimentos que realmente estão em um estado, digamos assim não muito de acordo com as normas não é. Brincadeiras a parte sabemos que nós os estudantes é que ficamos prejudicados. Então a atitude é absolutamente correta, pois a coisa tá feia né!

  2. A UNOPAR É UMA INSTITUIÇÃO LEGAL, ATENDE SEUS ALUNOS COMO DEVERIAM, E TODOS EU TRABALHO NA UNIDADE DE COCOS-BA, A INSTITUIÇÃO ATENDE SEUS ALUNOS COM A MAIOR CLAREZA POSSIVEL, BEM COMO LABORATÓRIO COM INTERNET, COMPUTADORES, DE PRIMEIRA LINHA ENTÃO NÃO VEJO MOTIVO PARA QUE A UNOPAR PARE DE FUNCIONAR.. ESTAMOS TRABALHANDO PARA QUE ATENDAMOS TAMBÉM OS NOSSO ALUNOS COM MAIS ADQUAÇÃO JUNTO AO MEC, SABEMOS QUE A EXIGÊNCIA É MUITA MAIS VAMOS NOS ADQUAR..

  3. Esse post é antigo e a Universidade já tomou as medidas necessárias perante o MEC, demonstrando sua idoneidade perante a comunidade, alunos e o MEC. Acho justo esse medida de fiscalizar as IES EAD, porém existe uma forte fiscalização para as IES que atuam nessa modalidade se comparado com as IES do sistema presencial, diga se de passagem, no futuro será até careta a um jovem ficar 4h todos os dias assistindo aulas expositivas. O tempo dirá quem irá prevalecer! EAD pela democratização do ensino! Viva, viva, viva o conhecimento…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s